Centro Cirúrgico de Coimbra realiza primeira cirurgia oftalmológica do mundo com recurso ao 3D
Segunda, 07 Fevereiro 2011 09:52

O Centro Cirúrgico de Coimbra (CCC) realizou recentemente as primeiras cirurgias oftalmológicas do mundo com recurso à tecnologia 3D de alta definição (HD). A equipa dirigida por António Travassos declarou à Lusa que “a utilização da tecnologia 3D no bloco operatório é um avanço significativo”. Segundo António Travassos, o 3D “leva a cirurgia a aproximar-se da perfeição permitindo, consequentemente, aumentar as probabilidades de sucesso das intervenções”. O cirurgião considera “que as imagens são extremamente importantes para documentar a cirurgia, porque, por melhor que seja o registo escrito, uma imagem ensina-nos muito mais”. “O 3D dá-nos uma visão muito mais próxima da realidade, permite à equipa que me acompanha estar a ver o que eu vejo no microscópio e detectar com muito maior precisão qualquer problema que surja durante a intervenção e corrigi-lo de imediato”, salientou. Para dar este salto tecnológico, o cirurgião de Coimbra, que já realizou mais de 30 mil intervenções oftalmológicas, recorreu a Marco Neiva, perito em tecnologia 3D. Neiva foi o responsável pela integração tecnologia que permitiu executar, pela primeira vez no mundo, cirurgias oftalmológicas com o auxilio da tecnologia 3D/HD. Para o conseguir, acoplou ao microscópio cirúrgico um sistema de captação 3D. Neiva realçou que “ nunca antes tinha sido possível a uma equipa de cirurgia oftalmológica visualizar em tempo real a operação e executar todas as tarefas de apoio ao cirurgião num ambiente 3D/HD”. “Com esta tecnologia conseguimos imagens 3D do exterior e do interior do olho”, acrescentou. O especialista destacou como vantagens “desta inovação, a qualidade do apoio à cirurgia dentro do bloco operatório, a recolha documental para memoria futura e os benefícios no que diz respeito à formação de cirurgiões”. “A mesma solução pode ser “transmitida remotamente para salas de aula ou auditórios utilizando a internet”, facto que, salienta, “vai contribuir muito para melhorar a formação de novos cirurgiões”. Neiva desenvolveu esta solução em parceria com a Emílio Azevedo Campos (EAC), uma empresa especializada em vídeo profissional, e a Sony Europa. Rui Pinto, da EAC, referiu o “sucesso alcançado é o resultado das sinergias entre o Centro Cirúrgico de Coimbra – que tinha esta necessidade – a EAC e a Sony Europa – que forneceram o equipamento – e do empenho do Marco Neiva – que desenvolveu a solução”. “Cada uma das partes teve um papel activo muito importante e se qualquer uma das partes não se tivesse envolvido não teríamos concretizado com sucesso este avanço”, sublinhou. Os resultados deste avanço tecnológico vão ser apresentados ao público especializado e à comunicação social na sexta feira, dia 4 de Fevereiro, pelas 10h30, numa sessão pública nos cinemas Zon, no centro comercial Vasco da Gama, em Lisboa. Fonte: LUSA

 
DHMS - Dinamização Regional de Actores na área do Healthcare & Medical Solutions

O DHMS visa potenciar sinergias entre os vários actores da Região Centro na referida área, para identificação de novos projectos de I&DT, apoio na criação de novos produtos e serviços e internacionalização de empresas deste sector. Tem como promotores o IPN, o AIBILI, a Universidades de Coimbra, a Universidade de Aveiro e a Universidade da Beira Interior, e vem dar continuidade ao XHMS, projecto que se iniciou em 2006 e concretizou os objectivos propostos com reconhecido sucesso. Este projecto está integrado no plano de acção do Pólo de Competitividade Health Cluster Portugal e é apoiado pelo Programa Operacional Factores de Competitividade – COMPETE.

Para mais informações, contactar Carlos Cerqueira em vci@ipn.pt.

 

IPN UC Aibili UA UBI COMPETE QREN Unio Europeia